Sanskrit & Sánscrito (English-Home)

O Javascript está desativado! Cheque este link!


 Aprendendo Sânscrito - Regras de Sandhi

Regras de Sandhi ou Combinação (compiladas)

SANDHI DE VOGAIS    
Regras Prim. Regras Sec. SANDHI DE VISARGA SANDHI DE CONSOANTES
  1. 1a
  2. 2a
  3. 3a
  4. 4a
  5. 5a
  6. 6a
  7. 7a
  1. 1a
  2. 2a
  3. 3a
  4. 4a
  5. 5a
  6. 6a
  7. 7a
  1. 1a
  2. 2a
  3. 3a
  4. 4a
  5. 5a
  6. 6a
  7. 7a
  1. 8a
  2. 9a
  3. 10a
  1. 1a
  2. 2a
  3. 3a
  4. 4a
  5. 5a
  6. 6a
  7. 7a
  1. 8a
  2. 9a
  3. 10a
  4. 11a
  5. 12a
  6. 13a
  7. 14a
  1. 15a
  2. 16a
  3. 17a
  4. 18a
  5. 19a
  6. 20a
  7. 21a
  1. 22a
  2. 23a
  3. 24a
  1. Informação adicional
Para mais informações, ver Combinação

Obrigado a Paulo & Claudio que traduziram este documento do inglês/espanhol para o português brasileiro.



 Sandhi de Vogais: Regras Primárias

 1a Regra Primária
Duas vogais sânscritas não podem ser colocadas juntas (uma seguindo a outra)
 2a Regra Primária
O Guṇa é formado a partir da adição de "a" ou "ā" às vogais simples. Se o processo for repetido, forma-se Vṛddhi.
 3a Regra Primária
Se uma vogal simples (não um ditongo), curta ou longa, for seguida por uma vogal similar, curta ou longa, ambas serão combinadas, dando como resultado a vogal longa similar
 4a Regra Primária
Quando "i-ī, u-ū, ṛ-ṝ e ḷ" são seguidos por uma vogal não similar, então devem ser substituídos por "y, v, r e l", respectivamente.
 5a Regra Primária
Quando "a" ou "ā" são seguidos por uma letra vṛddhi, ambos serão absorvidos na letra vṛddhi
 6a Regra Primária
"e", "o", "ai" e "au", quando seguidos por uma vogal "dentro de uma mesma palavra", mudam para "ay", "av", "āy" e "āv" respectivamente. Não obstante, quando há "duas palavras", uma terminando em "e", "o", "ai" ou "au", e a outra começando com qualquer vogal, essa regra é usada opcionalmente. Se não for usada, você deve usar a 7a regra primária.
 7a Regra Primária
a) "e" e "o" ao final de uma palavra, quando seguidos por qualquer vogal (exceto "a"), transformam-se primeiramente em "ay" e "av" (6a Regra Primária) e então "y" e "v" podem ser omitidas opcionalmente. Não há coalescência depois disso, obviamente. Ou seja, as palavras permanecem separadas.
b) "e" e "o" ao final de uma palavra, quando seguidos por "a", não sofrem nenhuma mudança. No entanto, o "a" se funde com o "e" e o "o" e escreve-se o apóstrofe (avagraha) em seu lugar.
c) "ai" e "au" ao final de uma palavra, quando seguidos por qualquer vogal, podem ser transformados em "āy" e "āv" (6a Regra Primária) e então "y" e "v" podem ser omitidos opcionalmente. Não há coalescência depois disso, obviamente. Ou seja, as palavras permanecem separadas.

Ao início


 Sandhi de Vogais: Regras Secundárias

 1a Regra Secundária
Quando uma forma dual (verbo, pronome ou substantivo) termina em "ī", "ū" ou "e", não deve se combinar, isto é, nenhum Sandhi é possível aqui.
 2a Regra Secundária
Quando "ṛ" ou "ḷ" são seguidos por "ṛ" ou "ḷ", estas podem ser opcionalmente substituídas por "ṛ" ou "ḷ".
 3a Regra Secundária
Quando a vogal "a" é seguida pela sagrada palavra "Om" ou pela palavra "ā", é omitida.
 4a Regra Secundária
Segundo a 4a Regra Primária: "Quando "i-ī, u-ū, ṛ-ṝ e ḷ" são seguidos por uma vogal não similar, então devem ser substituídos por "y, v, r e l", respectivamente". Por sua vez, esses "y, v, r e l" podem ser opcionalmente duplicados se vierem depois de "h" ou "r". De fato, esta mesma regra pode ser aplicada a qualquer consoante, exceto "h".
 5a Regra Secundária
Quando uma vogal não similar vem depois de "i-ī", "u-ū", "ṛ-ṝ" ou "ḷ" localizados no final de uma palavra, estas vogais podem opcionalmente não se combinar, e, quando isso ocorre, são encurtadas se forem longas.
 6a Regra Secundária
Quando "a-ā", "i-ī", "u-ū" e "ḷ-ḹ", ao final de uma palavra, são seguidos por "ṛ" (somente forma curta), opcionalmente não são combinados, e, quando isso ocorre, são encurtados se forem originalmente longos.
 7a Regra Secundária
As palavras que consistem somente em uma única vogal nunca são combinadas. A palavra "ā" está obviamente incluída também, exceto quando significa "um pouco" ou "um limite", ou quando é utilizada como preposição e é seguida por uma vogal.

Ao início


 SANDHI DE VISARGA

 1a Regra
As letras finais "s" e "r" podem ser mudadas para Visarga (ḥ). Há palavras que terminam "originalmente" em "s" e palavras que terminam "originalmente" em "r", mas o Visarga pode substituir o "s" e "r" finais segundo as seguintes sub-regras: a) O "s" final de uma palavra seguida por qualquer letra ou por nada. b) O "r" final de uma palavra seguida por uma consoante surda ou por nada. É claro que, uma vez que "ḥ" tenha substituído "s" ou "r", você pode precisar aplicar outras regras à palavra que agora termina em Visarga.
 2a Regra
Visarga (substituindo "s", e não "r") precedido por "a" e seguido por "a" ou por uma consoante sonora, transforma-se em "u". Por sua vez, se há um "a" inicial na segunda palavra, este deve ser substituído por um apóstrofe (').
 3a Regra
Quando o Visarga é seguido por "c", "ch", "ṭ", "ṭh", "t" ou "th", não sendo eles próprios seguidos por uma sibilante (ś, ṣ ou s), transforma-se em "ś" (antes de "c" e "ch"), "ṣ" (antes de "ṭ" e "ṭh") e "s" (antes de "t" e "th"). Deve-se notar que as palavras "saḥ" e "eṣaḥ" nunca seguem essa regra (Ver 10a Regra).
 4a Regra
Quando o Visarga é precedido por "i" ou "u" e não pertence a nenhuma terminação em particular, transforma-se em "ṣ" [exceto na palavra "muhuḥ" (originalmente "muhur") --repentinamente, de uma vez, incessantemente, etc.--] se for seguida por uma consoante sonora pertencente à classe gutural ou labial.
 5a Regra
Quando "dviḥ", "triḥ" e "catuḥ" fazem o papel de advérbios que indicam frequência, mudam opcionalmente o seu Visarga para "ṣ" se forem seguidos por uma consoante surda pertencente à classe gutural ou labial.
 6a Regra
Uma palavra que termina em "iḥ" ou "uḥ" muda opcionalmente o seu Visarga para "ṣ" se for seguida por uma consoante surda pertencente à classe gutural ou labial, somente quando a palavra seguinte é necessária para completar o sentido.
 7a Regra
Quando Visarga é precedido por qualquer vogal (exceto "a" ou "ā") e seguido por uma vogal ou uma consoante sonora, deve ser transformado em "r".
 8a Regra
Quando uma palavra que termina em "r" (quer seja originalmente ou depois de aplicar a 7a Regra, mostrada anteriormente) é seguida por "r" ou "ḍh", o "r" final é omitido, e qualquer "a", "i" ou "u" que o preceda é alongado.
 9a Regra
Quando Visarga (precedido por "ā") é seguido por uma consoante sonora, deve ser omitido. No entanto, é opcionalmente omitido quando: (1) é seguido por uma vogal, (2) é precedido por "a" e seguido por uma vogal --exceto "a"--. Finalmente, se for escolhido não omiti-lo, o Visarga deve ser mudado para "y" nesses dois casos.
 10a Regra
O Visarga dos pronomes masculinos "saḥ" (ele, esse/aquele) e "eṣaḥ" (ele, este) é omitido antes de uma consoante quando não estão sendo utilizados em um composto Tatpuruṣa negativo. Além disso, às vezes, em poesia, o Visarga final é omitido antes de uma vogal (exceto "a") para satisfazer os requisitos da métrica. Obviamente, o "a" no "sa" resultante se combina posteriormente segundo as conhecidas regras do Sandhi de Vogais.

Ao início


 Sandhi de Consoantes

 1a Regra
Nenhuma palavra sânscrita pode terminar em duas ou mais consoantes. As únicas exceções são as terminações "rk", "rṭ", "rt" e "rp". (Não se devem incluir raízes nesta regra).
 2a Regra
(1a sub-regra) Qualquer consoante "surda" final (exceto as Sibilantes) de uma palavra localizada no final de uma frase permanece inalterada.
(2a sub-regra) Qualquer consoante "surda" final (exceto as Sibilantes) localizada antes de outra consoante "surda" geralmente permanece inalterada, exceto quando é necessário utilizar outra regra de Sandhi.
(3a sub-regra) Qualquer consoante "surda" final (exceto as Sibilantes) localizada antes de uma letra "sonora" (qualquer consoante sonora --exceto as "nasais", mas essa exceção, às vezes, não é levada em conta; Ver 6a regra--, semivogal ou vogal --exceto o "Visarga"--) muda para a respectiva consoante "surda".
(Quando a consoante que a segue é "nasal", você terá que usar a 6a Regra de Sandhi de Consoantes).
 3a Regra
Quer seja no final da última palavra de uma frase, ou no final de uma única palavra que está pronta para ser inserida em uma frase, só pode haver (1) Vogais (exceto ṛ, ṝ e ḷ), (2) Consoantes surdas não aspiradas (exceto "c"), (3) Nasais (exceto "ñ"), (4) Visarga (ḥ) e (5) A letra "l", que é uma semivogal. Qualquer outra letra situada na supracitada posição deve ser substituída segundo as seguintes sub-regras:
(1a sub-regra) As letras sonoras não aspiradas e aspiradas em posição final (exceto as palatais "j" e "jh") se transformam na letra surda "não aspirada" correspondente.
(2a sub-regra) As Palatais finais (exceto o "ñ") mudam frequentemente para "k". No entanto, às vezes "j" também se transforma em "ṭ". O "ñ" final deve mudar para "ṅ".
(3a sub-regra) O "ś" final muda para "k" ou para "ṭ". Por sua vez, o "ṣ" e "h" finais geralmente se convertem em "ṭ", e raramente em "k".
 4a Regra
(1a sub-regra) Se um "s" final (dental) entrar em contato com "ś" ou qualquer outra Palatal (c, ch, j, jh ou ñ), o "s" é substituído por "ś" (Ver também 1a Regra de Sandhi do Visarga). Por sua vez, no que diz respeito à combinação entre algumas das Dentais e Palatais restantes, pode-se estabelecer o seguinte: (a) "t" muda para "c" ou "j" antes de "c", "ch", "j" ou "jh", respectivamente; (b) "n" muda para "ñ" antes de "c", "ch", "j", ou "jh". (Exceções: "t" ou "n" vindo depois de "ś" não são afetados por esta regra, ou seja, não se transformam nas respectivas palatais).
(2a sub-regra) Se um "s" final (dental) entrar em contato com "ṣ" ou qualquer outra Cerebral (ṭ, ṭh, ḍ, ḍh ou ṇ), o "s" é substituído por "ṣ" (Ver também 1a e 3a Regras do Sandhi de Visarga). Por sua vez, no que diz respeito à combinação entre algumas das Dentais e Cerebrais restantes, pode-se estabelecer o seguinte: (a) "t" muda para "ṭ" antes de "ṭ"; (b) "n" muda para "ṇ" antes de qualquer cerebral.
 5a Regra
Qualquer consoante --exceto Nasais, Semivogais e Sibilantes-- muda para a primeira de sua classe, quando seguida por uma consoante surda (isso é "principalmente" uma espécie de complemento à 2a sub-regra da segunda regra do Sandhi de Consoantes; vá à 4a regra para mais informação específica sobre mudanças em Sibilantes).
 6a Regra
Se uma consoante final, exceto "r" ou "h", for seguida por uma Nasal, essa consoante é opcionalmente substituída pela Nasal de sua classe.
 7a Regra
Se uma palavra que termina em uma letra Cerebral for seguida por "s" ou uma letra da classe Dental (t, th, d, dh e n), tanto o "s" quanto as supracitadas Dentais (exceto o "n" de "nāma" --nome--, "navati" --noventa-- e "nagarī" --cidade--) permanecem inafetados.
 8a Regra
Quando "h" vem depois de qualquer uma das primeiras quatro letras de uma classe (Gutural, Palatal, Cerebral, Dental ou Labial), é opcionalmente transformado na consoante aspirada sonora dessa classe. Isto é, "h" pode ser opcionalmente convertido na quarta letra da respectiva classe.
 9a Regra
Quando "ś" é tanto precedido por uma palavra terminando em qualquer uma das primeiras quatro letras de uma classe, quanto seguido por uma Vogal, uma Semivogal, uma Nasal ou "h", o "ś" é opcionalmente transformado em "ch".
 10a Regra
A letra "m" situada no final de uma palavra deve sempre ser transformada em Anusvāra
quando seguida por uma Consonante.
 11a Regra
Segundo a décima Regra, "m" sempre se transforma em "Anusvāra" quando se localiza ao final de uma palavra e é seguido por uma Consoante. Por sua vez, se a Consoante não for "ś, ṣ, s ou h", o Anusvāra (ṁ) pode opcionalmente ser transformado na Nasal da classe à qual a consoante pertence. Este seria um complemento à 10a regra do Sandhi de Consoantes, na realidade. Contudo, essa transformação é necessária se o Anusvāra estiver no meio de uma palavra. Exceção:
As palavras "sam" e "pum" têm sua própria forma de combinação, e, portanto, não se submetem completamente à presente regra. Essas palavras são também governadas pelas seguintes regras:
a) O "m" de "sam" (um prefixo que indica "conjunção", "união", "completude" ou "intensidade") se transforma em "ṁs" (e não em "ṁ" ou em "ṅ", como estabelece a regra atual) quando é seguida por qualquer forma da raiz "kṛ" (fazer, confeccionar, realizar, etc.). O Anusvāra também pode ser opcionalmente mudado para Anunāsika (m̐). Desta maneira, "ṁs" se converte em "m̐s".
b) O "m" de "pum" (uma forma que é usada em compostos no lugar da palavra original "puṁs" --homem, um ser humano, espírito humano, etc.--) muda opcionalmente para "ṁs" (e não para "ṁ" ou para a Nasal correspondente, como estabelece a presente regra) quando é seguida por uma consoante surda (exceto uma Sibilante) que precede uma Vogal, uma Semivogal, uma Nasal ou "h" (Cuidado com isso!). O Anusvāra também pode ser opcionalmente mudado para Anunāsika (m̐). Desta maneira, "ṁs" se converte em "m̐s".
 12a Regra
Quando "m" e "n" não estão no final de um "pada" (termo técnico para qualquer "palavra flexionada ou declinada"), mudam para Anusvāra se forem seguidos por uma consoante (exceto Nasais, Semivogais ou "h"). (Note que, apesar de "qualquer palavra" ser geralmente denominada "pada", neste caso o termo se refere a uma palavra flexionada, isto é, a uma palavra que passou por algum tipo de declinação ou conjugação. Cuidado aqui!).
Exceção: a) Esta mudança é opcional se o "m" for seguido pelo conjunto "hm". Se não for mudado, o "m" permanece imutável (ou seja, permanece como "m").
b) Por sua vez, esse mesmo "m" pode ser opcionalmente convertido em "n" se for seguido por "hn". Se esse não for o caso, o "m" se transforma em Anusvāra.
c) No caso de "m" ser seguido por "hy, hv, hl", então, "m̐y, m̐v, m̐l" (formas nasalizadas dessas três Semivogais) substituem opcionalmente o "m". Se não houver substituição, o "m" se transforma em Anusvāra.

A presente Regra deve ser usada conjuntamente com a 10a Regra, porque é um complemento perfeito, certamente. Você pode usar a 10a Regra livremente, mas tomando cuidado para não violar nenhuma premissa estabelecida pela 12a Regra. Tenha cuidado, então.
 13a Regra
(1a sub-regra) Se uma consoante for seguida por outra consoante do mesmo tipo (exceto Nasais, Semivogais e "h"), pode ser omitida opcionalmente.
(2a sub-regra) Se uma consoante pertencente a qualquer uma das primeiras cinco classes --Gutural, Palatal, Cerebral, Dental e Labial-- (exceto "ñ") vier depois de uma Semivogal, a primeira é opcionalmente duplicada.
(3a sub-regra) Se uma consoante (exceto "h") vier depois de uma vogal e não for seguida por uma vogal, é opcionalmente duplicada.
(4a sub-regra) Se uma consoante pertencente a qualquer uma das primeiras cinco classes (exceto Nasais e, é claro, as consoantes sonoras não aspiradas --em suma, "g, j, ḍ, d e b"--) for seguida por uma consoante sonora aspirada ou não aspirada (g, gh, j, jh, ḍ, ḍh, d, dh, b ou bh), deve-se transformar na consoante sonora não aspirada da sua classe (isto é, g, j, ḍ, d ou b, respectivamente). Esta sub-regra é um complemento à 5a Regra do Sandhi de Consoantes.
(5a sub-regra) Uma Semivogal é opcionalmente duplicada quando precedida por uma consoante pertencente a qualquer uma das primeiras cinco classes (ou seja, Guturais, Palatais, Cerebrais, Dentais e Labials), exceto "ñ".
(6a sub-regra) Se uma consoante (exceto "h") vier depois de "r" ou "h" precedidos por uma vogal, é opcionalmente duplicada. Este é um complemento da segunda sub-regra acima.
 14a Regra
Se "n" ao final de uma palavra for seguido por "ś", então, insere-se opcionalmente um "t" entre eles. Depois dessa inserção opcional, você pode ter que usar outras Regras para polir o Sandhi ou combinação.
 15a Regra
(1a sub-regra) Quando "ḍ" ou "n" ao final de uma palavra são seguidos por "s", "dh" (disfarçado de "t") pode ser opcionalmente inserido no meio. Note que, no primeiro caso, você terá que converter o conjunto resultante "ḍts" em "ṭts" pela 5a Regra do Sandhi de Consoantes. Esta sub-regra é um perfeito complemento da 7a Regra do Sandhi de Consoantes.
(2a sub-regra) Quando "ṅ", "ṇ" ou "n" estão no final de uma palavra e são precedidos por uma vogal curta, devem ser duplicados se forem seguidas por uma vogal.
 16a Regra
A consoante "s" pertencente a um Substituto (isto é, quando "s" está destinado a ser substituído para construir formas flexionadas) ou a uma Terminação é obrigatoriamente mudado para "ṣ" quando precedido por uma Vogal (exceto "a" e "ā"), uma Semivogal, uma Gutural ou "h". Além disso, se "s" for seguido pelas Vogais "ṛ" ou "ṝ", ou pela consoante "r", o "s" não é modificado (em suma, "s" + "ṛ", "ṝ" ou "r" = "sṛ", "sṝ" ou "sr"), ou seja, a presente Regra não é válida. Teoricamente, esta Regra aceita que qualquer uma das consoantes restantes siga "s", mas, na realidade, todas as consoantes sonoras (o resto das Semivogais incluído) e Sibilantes são geralmente excluídas. Se essas consoantes aparecerem, as Regras do Sandhi de Visarga, junto com outras Regras do Sandhi de Consoantes, são usadas em vez desta. Então, somente as dez consoantes surdas (k, kh, c, ch, ṭ, ṭh, t, th, p e ph) poderiam teoricamente seguir o "s", mas você deve ter cuidado aqui quando usar esta Regra, para não entrar em conflito com outras Regras do Sandhi de Consoantes ou Visarga. Você verá que a presente Regra trabalha complementarmente com outras Regras que governam a combinação de um "s" ou Visarga final. Aqui está a lista de Regras que trabalham principalmente como complemento da Regra atual:
1) Sandhi de Consoantes: a) A terceira sub-regra da 2a Regra; e b) A 4a Regra;
2) Sandhi do Visarga: A 3a, 4a, 5a, 6a e 7a Regras. Esta Regra é válida mesmo se um Anusvāra substituindo "n", uma Visarga ou uma Sibilante (ś, ṣ, s) intervierem [isto é, mesmo se essas letras estiverem situadas entre o "s" e a Vogal (exceto "a" e "ā"), Semivogal, Gutural ou "h" precedentes]. A presente Regra é comumente usada somente dentro de uma única palavra. (Note que um afixo ou uma terminação adicionados a uma palavra não são considerados como uma segunda palavra "separada" realmente, porque o resultado final de juntá-los é novamente uma única palavra).
 17a Regra
Quando "n", ao final de uma palavra (exceto "praśān" --um bom e pacífico homem--), é seguido por "c", "ch", "ṭ", "ṭh", "t" ou "th" (que são por sua vez seguidos por uma Vogal, uma Semivogal, uma Nasal ou "h"), "s" é inserido no meio e o próprio "n" se transforma em "ṁ" ou "m̐". Às vezes, você terá que usar também a 4a Regra do Sandhi de Consoantes para polir a combinação. Esta Regra é o perfeito complemento das Regras 11 e 12 do Sandhi de Consoantes.
 18a Regra
Quando "n" vem depois de "r", "ṣ", "ṛ" ou "ṝ", dentro da mesma palavra, deve ser obrigatoriamente transformado em "ṇ", mesmo se uma Vogal, uma Semivogal (exceto "l"), uma Nasal, uma consoante pertencente às classes Gutural ou Labial, ou "h" estiver entre as letras supracitadas (isto é, "r", "ṣ", "ṛ" e "ṝ") e "n". Note que esta transformação não ocorre quando o "n" está ao final de uma palavra, ou seja, a presente Regra de Sandhi não pode ser usada com um "n" final.
 19a Regra
(1a sub-regra) A consoante "c" é obrigatoriamente inserida entre "ch" e a vogal curta precedente.
(2a sub-regra) A consoante "c" é obrigatoriamente inserida entre "ch" e a vogal longa precedente que não se encontre ao final de uma "verdadeira" palavra, ou seja, a supracitada vogal longa deve pertencer a uma sílaba reduplicativa, etc. as quais são utilizadas principalmente para formar diferentes tipos de conjugações verbais (Perfeito, Aoristo e similares).
(3a sub-regra) A consoante "c" é opcionalmente inserida entre "ch" e uma vogal longa precedente que se encontre ao final de uma "verdadeira" palavra, exceto o "ā" em "mā" e a preposição "ā".
(4a sub-regra) A partir da última declaração, é óbvio que o "c" é obrigatoriamente inserido entre "ch" e o "mā" precedente, ou entre o "ch" e a preposição "ā".
 20a Regra
(1a sub-regra) Quando "ṅ" e "ṇ" são seguidos por uma Sibilante (ś, ṣ ou s), existe a opção de sufixar "k" e "ṭ", respectivamente, aos mesmos.
(2a sub-regra) As consoantes surdas não aspiradas podem ser convertidas opcionalmente em surdas aspiradas quando seguidas por uma Sibilante.
 21a Regra
(1a sub-regra) Quando seguida por "l", qualquer letra Dental (exceto "n" e "s") muda para "l".
(2a sub-regra) Quando seguido por "l", o "n" deve ser convertido em "l" nasalizado.
 22a Regra
Quando uma letra Dental (exceto "s") é seguida por "ṣ", não é substituída por sua correspondente Cerebral. Em outras palavras, as letras Dentais (exceto "s") permanecem inafetadas antes de "ṣ".
 23a Regra
Quando uma letra Cerebral é seguida por uma Dental dentro de uma palavra (cuidado aqui!), a consoante Dental se converte na Cerebral correspondente. Esta regra é uma espécie de complemento tanto da 7a Regra do Sandhi de Consoantes quanto das partes (a)/(b) da segunda sub-regra da 4a Regra do Sandhi de Consoantes.
 24a Regra
(1a sub-regra) Quando o "ś" é seguido por "t" ou "th", muda para "ṣ". Posteriormente, dado que o Sandhi ocorra dentro de uma única palavra, pela 23a Regra do Sandhi de Consoantes, "t" e "th" se convertem para "ṭ" e "ṭh". Se não, "t" e "th" permanecem inafetados, de acordo com a 7a Regra do Sandhi de Consoantes.
(2a sub-regra) Quando uma raiz ou um substantivo, ambos terminando em uma consoante sonora aspirada, são seguidos por um sufixo ou terminação que comece com "t" ou "th", estas últimas letras (isto é, o "t" e o "th") devem transformar-se em "d" e "dh", respectivamente, os quais atraem a aspiração. Em outras palavras, a consoante sonora aspirada na raiz ou substantivo converte-se na respectiva sonora não aspirada, enquanto que o "d" passa a ser "dh". Obviamente, o "dh" proveniente do "th" permanece igual, apesar de roubar a aspiração da consoante anterior, isto é, não existe "dhh". Este é um complemento da quarta sub-regra da 13a Regra do Sandhi de Consoantes.
(3a sub-regra) Quando uma raiz que termina em "h" é seguida por um sufixo ou terminação que comece com "t" ou "th", estas últimas letras (isto é, "t" e "th") devem transformar-se em "d" e "dh", respectivamente. Por sua vez, o próprio "h" se transforma em "gh". E, por último, o "d" ou "dh" atrai a aspiração em "gh", ou seja, "d" passa a ser "dh" e "gh" se transforma em "g" (obviamente, o "dh" proveniente de "th" permanece idêntico, apesar de roubar a aspiração do "gh", ou seja, não existe "dhh")

Ao início


 Informação adicional

Gabriel Pradīpaka

Este documento foi concebido por Gabriel Pradīpaka, um dos dois fundadores deste site, e guru espiritual versado em idioma Sânscrito e filosofia Trika.

Para maior informação sobre Sânscrito, Yoga e Filosofia Indiana; ou se você quiser fazer um comentário, perguntar algo ou corrigir algum erro, sinta-se à vontade para enviar um e-mail: Este é nosso endereço de e-mail.